Purpura


Purpura é a cor dos meus sonhos
Do pecado que carrego em mim
é a cor do meu fracasso
Que todos chamam de fim

Purpura é a cor que aflige
Meu alegre sorriso triste
O desabrochar de uma rosa
Num jardim que não existe

Tal qual rosa, meus sonhos
Tal qual sonho um olhar
Que se desfaz no horizonte
Que pede ajuda pro mar

Que negro véu do horizonte
Tenta o purpura encontrar
Que se desfaz no horizonte
O desprazer de sonhar

Purpura é a cor dos meus sonhos
Purpura eu vou encontrar
No desprazer do horizonte
No desabrochar deste mar

Purpura é a cor que aflige
Meu alegre sorriso triste
O desabrochar de uma rosa
No jardim que não existe.

[by Luna]

7 Comentários:

Fernández disse...

Mais uma vez um poema lindo! Vc ta de parabéns... e continue sempre escrevendo que um dioa vai longe, pois talento não te falta.

Morbid Poet disse...

Por que procuramos tanto esse jardim encantado?? Será que ele nos libertará de nossos sofrimentos??? Será que ele é encantado ou simplesmente será nossa moradia eterna???
Adorei... como ja disse o que vc anda lendo nossa cada poema, meu queixo vai até o chão...
bjs

Bruna disse...

Adorei querida
Está de parabéns!!!
Lindas palavras!!!

Beijos e te adoro.

Natalia Fênix Gótica disse...

É sempre bom passar por aqui^^

Sophie Angel disse...

Uma garota que tem um alegre sorriso triste...e [que talvez tenha lágrimas de alegria...]
Então espere que esteja triste só pra você sorrir...é o que muitos querem.
Espero que encontre sua Purpura...
^^


Amei o seu poema, moça!
o/

Max disse...

Gostei na primeira estrofe falar de fracasso e ligar a "fim", mesmo sem dizer, dá a entender que não é um fim, muito boa a forma como disse isso =)
Não sei qual o significado da cor em si, mas como parece ser algo particular, quem for ler pode ter a cor que tiver vontade, não necessariamente sendo uma cor.
O jardim existe e pra dizer isso você coloca que não existe, só em citar, passa a existir. Da forma como foi apresentado você disse uma coisa dizendo seu contrário, muito bom! Sendo púrpura um desvaneio você pode encontrar em qualquer lugar, principalmente no sonho, o que entra no campo inconsciente psicanalícoa ou jungiano ou mesmo metafísico.
é bom seguir junto ao poema, gostei! =)

A. Reiffer disse...

Belíssimo teu blog e teus textos! Parabéns!

Postar um comentário